dicas para abrir um negócio com pouco dinheiro

O Brasil é um País formado, em sua maioria, por pequenos empreendimentos. Isso significa que, via de regra, o tamanho da coragem para empreender é inversamente proporcional à quantidade de dinheiro disponível para abrir o próprio negócio.

Dessa forma, qualquer erro pode ameaçar não só o caixa, mas também os planos de crescimento da nova empresa. Quando você empreende, é impossível ter qualquer tipo de garantia, mas existem alguns passos que podem te ajudar a começar essa jornada com pouco dinheiro.

Escolha o melhor enquadramento

Ser um empreendedor requer que você esteja dentro da lei, e para isso é preciso encontrar o melhor regime tributário. E o Microempreendedor Individual (MEI) facilita a vida de quem quer dar os primeiros passos nessa aventura. O custo de abertura é zero, e a manutenção exige pagamento de impostos de no máximo R$ 53,70 mensais. É a modalidade ideal para pequenos negócios.

Assim, existem algumas regras para se registrar como MEI, e estes itens podem ser
consultados neste link. Além do registro de MEI, há outro item que pode reduzir custos iniciais do seu empreendimento: o home office. Ideal para prestadores de serviço, essa modalidade ajuda a economizar dinheirovem itens como alimentação, transporte e, possivelmente, telefonia e internet.

O início com dinheiro curto não quer dizer que você não possa crescer. É importante sempre ter em mente que utilizar espaços de trabalho compartilhados, como um coworking, também te ajuda a economizar e pode trazer muito mais rendimento e eficiência para seu empreendimento – principalmente se você precisa receber seus clientes.

Abrindo negócios maiores, mas com economia

Se você pensa grande não quer dizer que os recursos à disposição tenham que ser enormes. Claro que toda empresa começa com algum capital, mas é preciso ter outras coisas em mente também.

Valide sua ideia

Você tem uma ideia de negócio com a qual tem certeza que poderia abrir uma empresa de sucesso. O problema é que só a certeza do futuro empreendedor não basta. É preciso fazer o que chamamos de validação da ideia.
Isso significa que, se você confia mesmo no seu projeto, deve procurar a opinião de pessoas isentas, que não ganharão nem perderão com sua futura empresa. Potenciais clientes e empreendedores mais experientes podem opinar como mais isenção, e dizer se sua ideia realmente vale a pena.

Procure um mentor

Não peça conselhos a quem só vai reafirmar suas ideias, e sim a pessoas que o desafiem e façam com que você defenda melhor seus argumentos e decisões. Melhor ainda se for um profissional que atue na mesma área de sua futura empresa. 

Seja obcecado por clientes

Então, quem é meu cliente? Onde ele está e como posso chegar até ele? Essas são as primeiras perguntas que o empreendedor precisa responder. Para isso, deve reservar metade de seu tempo – a outra metade deve ser dedicada a criar um produto ou serviço que supere a expectativa das pessoas. 

Reinvista tudo no negócio

Sobretudo, quem foca em lucratividade muito cedo acaba pecando na qualidade dos produtos ou serviços ofertados. Isso impede que você possa gerar novos negócios e prospecte novos clientes. Gastando todo o lucro a empresa não cresce, e quem não cresce fecha as portas rápido.

Comece o marketing cedo

Primeiramente, marketing não é bobagem e nem deve ser feito de uma maneira amadora. Pesquise meios efetivos e baratos para chegar ao consumidor. Vale a pena começar a fazer ações mesmo antes de o produto estar pronto.

Use essas dicas para afinar suas ideias e colocar em prática sua tão sonhada vida de empreendedor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *